domingo, 3 de julho de 2016

EC-725 Caracal

EC-725 Caracal
helicóptero de transporte militar.

Função: helicóptero de transporte militar.
Fabricante: União Europeia Airbus Helicopters
Primeiro vôo: 27 de de Novembro de de 2000
Custo unitário: US $ 20 + milhões (2013 est).
Custo de manutenção: 6000 /h
Tripulação: 2 (1 piloto e copiloto 1) + 1 tripulação mecânico
Capacidade: 1 chefe da vara + 28 tropas ou 5.670 kg
Motor: 2 Motor Turbomeca Makila 2A (ou 2A1)
Tipo de Motor: turbina
Consumo: 800 litros de querosene por hora de voo
Número de lâminas Do rotor principal: 5

Dimensões
16,20 m Diâmetro do rotor
19.50 m comprimento
4,60 m altura

Massa
5330 kg vazio
5670 kg Carregado
11.200 kg máximo

Velocidade de cruzeiro: 285 km/h
Velocidade máxima: 324 km/h
Teto: 5030 m
Taxa de subida: 360 m / min
Raio de ação: 857 km
Armamento
Interno: 
2 Metralhadoras MAG-58 7,62 mm

Externo:
2 Casulos LAU-3 / A-19 foguetes 2,75 polegadas
2 Misseis Anti Navio Exocet AM39 (Versão naval)


Unidades Operacionais:
Força Aérea Brasileira 
H -36 Caracal: 18  unidades

Marinha do Brasil
UH -15 Super Cougar: 16 unidades

Exercito Brasileiro 
HM - 4  Jaguar : 16 unidades



EC725 e a mais recente evolução da família de bimotor da classe de 11 toneladas, foi desenvolvido na década de 1990, a pedido dos militares franceses, inicialmente, para atender à necessidade de ter uma máquina moderna de transportar para missão CSAR (busca e salvamento em combate) da força aérea. O primeiro vôo foi realizado em novembro de 2000. Os acontecimentos de 11 de setembro de 2001  forçou o EC725 Caracal a atuar em cenários significativamente mais amplo entre todas as unidade de Forças Especiais francês e, em seguida, levou a sigla adicional HUS (helicóptero Unidades especiais).

O EC725 possui um rotor principal tipo Spheriflex cinco lâminas. Seu celular pode ser a versão curta ou longa. Ele pode ser alimentado de duas formas: ou o 2A Makila e 2A1.

Nome Civil deste Helicoptero é o AS332 L1 e  AS332 L2 . O AS332 L1 mudando distinguido por um rotor principal tipo Spheriflex e um rotor traseiro Spheriflex 4 lâminas, um motor mais potente (Makila 2A 2 140 hp) e uma aviónica mais moderna, piloto automático .. . AS332 L2  é utilizado na área offshore para as conexões para plataformas petrolíferas. Ele é projetado especificamente para missões de salvamento de combate e transporte de tropas por longas distâncias.

O EC725 é o primeiro helicóptero francês equipado com um sistema de blindagem e adulteração incluindo detecção de radar de mísseis, também está equipado com uma torreta FLIR dando-lhe uma capacidade de resposta a noite e qualquer tempo . Uma frota de 19 aeronaves equipa da Força Aérea e aviação ligeira do exército francês.



 EC725 é equipado com aviônica de última geração e sistemas de comunicação que reduzem a carga de trabalho da tripulação ao mesmo tempo que aumentam a capacidade e segurança da missão. Os Helicópteros Airbus incorporaram avanços significantes em termos de interface homem-máquina, assegurando que as informações mais importantes cheguem ao piloto para o processo de tomada de decisão mais eficaz.

O piloto automático dual-duplex de 4 eixos renovado da Airbus Helicopters fornece uma precisão e estabilidade excepcionais e permite o voo em padrões de busca e resgate, assim como abordagens automáticas em procedimentos de regras de voo instrumental (IFR).

Um redundância incomparável é fornecida em sistemas chave a bordo para manter a funcionalidade completa, incluindo o Sistema de Controle de Voo Automático (AFCS) dual-duplex, o controle de motor digital de autoridade plena (FADEC) bimotor com backup; cinco instrumentos de voo eletrônicos de LCD; e dois Visores de Monitoramento do Veículo, dentre outros recursos.

Utilizando a herança militar comprovada do rotorcraft Puma e Super Puma da Airbus Helicopters, o EC725 foi concebido pensando na capacidade de sobrevivência. A sua fuselagem possui as estruturas principais reforçadas e está equipada com trem de pouso com amortecedores de impacto, juntamente com tanques de combustível resistentes ao choque e auto-vedantes.


A proteção da cabine do piloto é fornecida através de assentos da tripulação amortecedores de impacto e blindados, enquanto que a cabine pode ser equipada com blindagens nos pisos e paredes ou com carpetes blindados. A construção multi caixa das pás do rotor aumenta a sua resistência para impactos de balas.

Contribuindo para a sobrevivência do EC725 está um receptor de aviso de radar, sistema de aviso de aproximação de míssil, e dispensers de flare/chaff. Os escapamentos do motor podem ser equipados com supressores infravermelhos, com proteção contra areia e gelo fornecido pelo design de entrada e com filtros instaláveis.


EC725 está pronto para tudo, desde missões na linha de frente até apoio logístico crítico. O armamento qualificado inclui uma metralhadora 7,62 mm nas janelas da cabine dianteira; juntamente com casulos para armas 20 mm de munição 180 e lançadores de foguete 2.75-in de tubo-19.

Capaz de decolar em menos de cinco minutos, seguido por alta velocidade constante, o EC725 chega na cena rapidamente e já está pronto para um rápido retorno à base quando a tarefa for concluída.



São proibidos, segundo a fabricante Airbus Helicopter, o voo para a retaguarda, de forma que os gases de exaustão entrem na cabine; pouso corrido em solo macio; penetração intencional em nuvens com grande desenvolvimento vertical (excesso de turbulências); o pouso em auto-rotação completa intencional; o voo monomotor intencional fora de treinamento; a transferência de combustível entre tanques durante pouso e a decolagem e o voo sob condições de gelo conhecidas.

Caracal participou da a operação Baliste de evacuação de cidadãos no Líbano no Verão de 2006.

A partir do final de 2006, e até a retirada das unidades de combate francesas no Afeganistão , o Caracal foram colocados em alerta permanente em Kabul .

Em 11 de Janeiro de 2013, quatro aeronaves de  l'ALAT (pertencente ao Grupo Air Joint 56 eo Comando de Operações Especiais ) participaram da operação de resgate Buulo Mareer realizado em Somália pelo exército francês para libertar Denis Allex , agente da DGSE sequestrado pelo islamita grupo Al-Shabaab .


O H-36 (EC725) da versão operacional da FAB será o primeiro helicóptero da América do Sul com sonda para ser reabastecido em pleno ar. A capacidade, hoje disponível no Brasil apenas para aviões de caça, possibilitará ampliar o raio de ação para missões, como o resgate de pessoas no mar.


A Helibras concluiu nos dias 30 Novembro a 03 Dezembro 2015, a primeira etapa de testes da integração dos mísseis Exocet AM39 ao sistema de missão naval desenvolvido especialmente para a versão Operacional do helicóptero EC725 da Marinha do Brasil. Durante as três semanas de atividades em laboratório, a equipe realizou com sucesso diversos disparos simulados dos mísseis.


Esta fase de ensaios foi realizada para a validação da conexão entre o Sistema de Missão Naval e os lançadores de míssil, o teste de diferentes modos de operação, a verificação da lógica de comando e checagem da instrumentação que será empregada nos ensaios em voos.

No dia 29 de setembro de 2014 a Helicópteros do Brasil (Helibras), sediada em Itajubá, no Sul de Minas, rompeu os 20% de nacionalização da aeronave EC-725, 14 empresas nacionais estão em processo de transferência de tecnologia com companhias estrangeiras para se tornarem fornecedoras da Helibras nesse projeto. Outras 23, também brasileiras, suprem as demandas da fabricante de aeronaves.O governo brasileiro estabeleceu como cláusula condicionante da Compra das aeronaves a transferência de tecnologia, a companhia se comprometeu a atingir o índice de 50% de conteúdo nacional nas aeronaves até o final do contrato, em 2017.































Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir