quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

G-30 Ceará

 Navio de Desembarque de Doca (NDD)
G-30 Ceará 


Batimento de Quilha: 11 de abril de 1955
Lançamento: 12 de junho de 1956
Incorporação (USN): 14 de dezembro de 1956
Baixa (USN): 2 de outubro de 1989
Incorporação (MB): 28 de novembro de 1989(1)
Construtor: Ingalls SB, USA.

Deslocamento: 
7.252 ton (padrão)
11.631 ton (carregado).

Dimensões: 
155.45 m de comprimento, 
25.60 m de boca 
5.80 m de calado

Propulsão: 
2 caldeiras Babcock & Wilcox de 40.8 kg/cm2, 
2 turbinas a vapor G.E. gerando 24.000 shp, acopladas a 2 eixos.

Combustível: 1.300 toneladas.

Velocidade: máxima de 22.5 nós.

Raio de Ação: 
13.000 milhas náuticas à 10 nós, 
10.000 milhas à 20 nós 
5.300 milhas à 22.5 nós.

Armamento: 
6 canhões de 3 pol. (76,2 mm/50) Mk 33 em três reparos duplos 
4 metralhadoras Browing .50 pol. (12,7 mm).

Sensores:  
1 radar de vigilância aérea SPS-6C, 
1 radar de superfície SPS-10 
1 radar de navegação CRP-3100.

Capacidade de Carga e Equipamentos: 
7.400 toneladas de carga.
1 doca medindo 119.2 x 14.6 metros,com capacidade para 2 EDCG's (LCU), ou 18 EDVM's (LCM6), ou 6 EDVM's (LCM 8), 
1 estacionamento de veículos na parte de avante da doca com uma área de 975m2, 
2 guindastes com 50 toneladas de capacidade cada um, 
2 EDVP's
2 lanchas para transporte de pessoal do tipo LCP.

Aeronaves: capaz de operar todos os helicópteros em serviço na MB.

Código Internacional de Chamada: PWFZ

Tripulação: 405 homens, sendo 21 oficiais e 384 praças 
Tropa Transportada: 500 homens

A Classe Ceará é o nome da classe que corresponde aos navios de desembarque de doca norte-americano da Classe Thomaston, que passaram a ser utilizados pela Marinha do Brasil.

A Classe Thomaston era constituída por oito navios incorporados pela Marinha dos Estados Unidos entre 1954 e 1957.

Estes navios são conhecidos como navios de desembarque de doca por possuírem uma doca alagável interna. As embarcações de desembarque transportadas dentro da mesma podem ser lançadas ao mar quando esta é inundada. Em uma operação anfíbia, isto permite que os navios não precisem se aproximar da praia, somente as embarcações menores que levarão os fuzileiros e veículos para ocupar a praia.

O NDD Ceará e o NDD Rio de Janeiro tem sido importantes no esforço logístico para manter as operações da Missão de Paz no Haiti.










































Nenhum comentário:

Postar um comentário