quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

G-30 Ceará

 Navio de Desembarque de Doca (NDD)
G-30 Ceará 


Batimento de Quilha: 11 de abril de 1955
Lançamento: 12 de junho de 1956
Incorporação (USN): 14 de dezembro de 1956
Baixa (USN): 2 de outubro de 1989
Incorporação (MB): 28 de novembro de 1989(1)
Construtor: Ingalls SB, USA.

Deslocamento: 
7.252 ton (padrão)
11.631 ton (carregado).

Dimensões: 
155.45 m de comprimento, 
25.60 m de boca 
5.80 m de calado

Propulsão: 
2 caldeiras Babcock & Wilcox de 40.8 kg/cm2, 
2 turbinas a vapor G.E. gerando 24.000 shp, acopladas a 2 eixos.

Combustível: 1.300 toneladas.

Velocidade: máxima de 22.5 nós.

Raio de Ação: 
13.000 milhas náuticas à 10 nós, 
10.000 milhas à 20 nós 
5.300 milhas à 22.5 nós.

Armamento: 
6 canhões de 3 pol. (76,2 mm/50) Mk 33 em três reparos duplos 
4 metralhadoras Browing .50 pol. (12,7 mm).

Sensores:  
1 radar de vigilância aérea SPS-6C, 
1 radar de superfície SPS-10 
1 radar de navegação CRP-3100.

Capacidade de Carga e Equipamentos: 
7.400 toneladas de carga.
1 doca medindo 119.2 x 14.6 metros,com capacidade para 2 EDCG's (LCU), ou 18 EDVM's (LCM6), ou 6 EDVM's (LCM 8), 
1 estacionamento de veículos na parte de avante da doca com uma área de 975m2, 
2 guindastes com 50 toneladas de capacidade cada um, 
2 EDVP's
2 lanchas para transporte de pessoal do tipo LCP.

Aeronaves: capaz de operar todos os helicópteros em serviço na MB.

Código Internacional de Chamada: PWFZ

Tripulação: 405 homens, sendo 21 oficiais e 384 praças 
Tropa Transportada: 500 homens

A Classe Ceará é o nome da classe que corresponde aos navios de desembarque de doca norte-americano da Classe Thomaston, que passaram a ser utilizados pela Marinha do Brasil.

A Classe Thomaston era constituída por oito navios incorporados pela Marinha dos Estados Unidos entre 1954 e 1957.

Estes navios são conhecidos como navios de desembarque de doca por possuírem uma doca alagável interna. As embarcações de desembarque transportadas dentro da mesma podem ser lançadas ao mar quando esta é inundada. Em uma operação anfíbia, isto permite que os navios não precisem se aproximar da praia, somente as embarcações menores que levarão os fuzileiros e veículos para ocupar a praia.

O NDD Ceará e o NDD Rio de Janeiro tem sido importantes no esforço logístico para manter as operações da Missão de Paz no Haiti.










































domingo, 13 de dezembro de 2015

G29 - Garcia D´Ávila

Navio de Desembarque de Carros de Combate (NDCC)
G29 - Garcia D´Ávila 


Batimento de Quilha: 12 de julho de 1985
Lançamento: 13 de dezembro de 1986
Incorporação (RFA): 7 de dezembro de 1987
Baixa (RFA): 31 de agosto de 2006
Incorporação (MB): 4 de dezembro de 2007

Deslocamento: 
7.400 ton (padrão)
8.541 ton. (carregado)

Dimensões: 
140.47 m de comprimento, 
20.02 m de boca 
4.57 m de calado máximo.

Propulsão: 
2 motores diesel Mirrlees-Blackstone KMR9 Mk 3, gerando 13.310 bhp, acoplados a 2 eixos com hélices de passo controlavel Vickers. 
1 Bow Thrusters Vickers de 400hp (300kW).

Energia Elétrica: 
4 geradores diesel de 540 Kw e 
1 gerador diesel de 300 Kw.

Combustível: 1.260 toneladas.
Velocidade: cruzeiro de 14 nós e máxima de 18 nós.
Raio de Ação: 13.000 milhas náuticas à 15 nós.

Armamento: 
2  metralhadoras BMARC-Oerlikon GAM BO1 de 20mm em dois reparos singelos 
2 metralhadoras Browing .50 pol. (12,7 mm).

Sensores: 
1 radar de navegação Kelvin-Hughes Type 1007, 
1 radar Racal-Decca 65625NA e 
1 65628NB de navegação
Sistema de Navegação Racal-Decca CANE; CME Racal Type 670; MAGE MEL UAA-1; 
4 lançadores quádruplos de chaffs/flares DLE; 
1 engodo rebocavel para torpedos Graseby Type 182.

Capacidade de Carga e Equipamentos: 
3.340 toneladas de equipamentos
1 Guindaste com capacidade para 25 toneladas a vante da superestrutura; 
2 guindastes com capacidade de 8.6 toneladas a vante; 
1 rampas na proa e na popa;
1 elevador tipo tesoura com capacidade para 20 toneladas, ligando o convés de viaturas ao convôo a meia nau; 
2 guindastes com capacidade para 20 toneladas em trilhos no teto do convés de viaturas e pontões de desembarque Maxiflote transportados nas laterais.

Tropa Transportada: 340 homens, podendo transportar mais 133 homens em espaços públicos do navio e mais 64 homens sem beliches.

Tripulação: 49 homens, sendo 17 oficiais e 32 marítimos civis contratados. Na MB 150 homens.

Aeronaves: convés de vôo capaz de operar todos os helicópteros em serviço na MB.

Código Internacional de Chamada: PWDV



O NDCC Garcia D'Avila (G-29) é um navio de desembarque de carros de combate (NDCC) da Marinha do Brasil.

Foi incorporado à Royal Navy com o nome de RFA Sir Galahad (L3005) em 25 de novembro de 1987 e desincorporado em 31 de agosto de 2006.

Foi adquirido pela Marinha do Brasil e recebido em 4 de dezembro de 2007, em Portsmouth, Reino Unido. A incorporação à Armada ocorreu no dia 29 de maio de 2008, em cerimônia realizada no Complexo Naval de Mocanguê, na cidade de Niterói, Rio de Janeiro.



Origem do nome
O Capitão-de-Fragata Garcia D'Ávila Pires de Carvalho e Albuquerque que dá nome ao navio, foi o comandante do Cruzador Bahia (C-12), que faleceu heroicamente no naufrágio do navio, em 4 de julho de 1945.

O Navio de Desembarque de Carros de Combate (NDCC) "Garcia D'Avila" foi incorporado à Armada no dia 29 de maio, em cerimônia realizada no Complexo Naval de Mocanguê, em Niterói/RJ.
Incorporado à Marinha do Brasil no dia 4 de dezembro de 2007, na Base Naval de Portsmouth, no Reino Unido, O NDCC "Garcia D'Avila", ex-RFA "Sir Galahad", foi construído em 1986 e incorporado à Frota Auxiliar da Marinha Real Britânica em 1987, participando ativamente das duas Guerras do Golfo, em 1991 e 2003, no apoio com suprimentos logísticos e transporte de tropas.

Com 140,5m de comprimento, 19,5m de boca e deslocamento de 8.751 toneladas, o navio tem capacidade de aproximadamente, 150 militares na tripulação e de transportar até 460 homens (tropa), além de realizar operações aéreas empregando dois conveses de vôo.