terça-feira, 11 de agosto de 2015

Carta de Esclarecimento 

Olá Pessoal, Meu nome e Felipe Martins, sou editor do Site BrasilEmDefesa, um site de Pesquisa que tem mais de 200 matérias dedicadas a assuntos Militares Especificamente a Forças Armadas Brasileira, venho Informar que por motivos pessoais não terei tempo pra continuar postando Novas Noticias, e as Novas Matérias terão um intervalo bem maior, estou sem tempo pois tenho família, Estudo e Ingressei em um Emprego Novo que tá consumindo o resto do meu tempo, peço aos seguidores que não deixem de nos Visitar, sempre que puder irei postar novas matérias.

Desde já, Agradeço a todos os visitantes que nos acompanha há anos, e que me motiva a nunca desistir dessa experiência de manter um site sobre um assunto muito pouco abordado pelas grandes mídias do Brasil.

Ass: Felipe Martins
         Editor  

sábado, 1 de agosto de 2015

Apesar do acordo com o Irã, Ameaça Nuclear Continua


Apesar de o acordo histórico alcançado com o Irã em 14 de julho , a idéia de um mundo sem armas atômicas continua a ser um sonho, mesmo 25 anos após o fim da Guerra Fria. Há 4.100 ogivas nucleares no planeta, e 1.800 deles estão com os americanos ou com russos em estado de alerta, de acordo com especialistas da Federação de Cientistas Americanos (FAS)

Não, na verdade, o negócio iraniana não chegou perto de eliminar os riscos de proliferação. De fato, a Coréia do Norte anunciou na esteira do acordo que, por sua vez,"não está interessada em um congelamento unilateral ou o abandono de seu programa nuclear."

O uso da bomba tornou-se irrelevante na última década à medida que novas ameaças surgiram (terrorismo e ciber-terrorismo , em particular) e os riscos de fronteira como existenciais para a Europa desaparecer. Durante a década de 1990, os Estados Unidos, Rússia, França e Reino Unido decidiu cortar seus arsenais nucleares. China foi o único país com armas nucleares que não seguiu o exemplo. Ásia, de fato, tornou-se um continente nuclear. Aqueles que acreditavam que o acordo nuclear com o Irã pararia a proliferação, estavam errados.

Ásia confia muito em armas nucleares apesar de não ter qualquer tratado, ou medidas de confiança, ou a organização de cooperação militar regional. De acordo com um especialista francês, François Mitterrand crença de que "os pacifistas estão no Ocidente e os mísseis estão no Oriente" é mais preciso do que nunca.

As armas nucleares tornaram-se uma maneira de contestar a ordem estabelecida. "A percepção de que os Estados Unidos estão menos dispostos a interferir nos assuntos mundiais e da enorme vantagem que eles têm em termos de capacidades clássicos se combinam para incentivar estratégias de desestabilização nuclear", diz Corentin Brustlein do Instituto Francês de Relações Internacionais.

O Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares de 1994 assinado com a Coreia do Norte só durou nove anos, após o qual o regime relançou o seu programa nuclear. Pyongyang está agora começando a aprender a usar um novo arsenal, que os peritos tenham concluído estar operacional. Durante o mesmo período, dois países desenvolveram novas maneiras de usar armas atômicas: Paquistão , através do desenvolvimento de mísseis nucleares de curto alcance para impedir qualquer potencial ofensivo indiana; e China, que tem colocado a energia nuclear no centro da sua modernização do exército apesar da doutrina defensiva do país.

Nenhuma das 250 ogivas nucleares chinesas está totalmente implantado, de acordo com o FAS. Mas elas estarão em breve, embora Pequim gosta de ser ambígua sobre isso. Japão e Coreia do Sul se sentem ameaçados. Os Estados Unidos iniciaram negociações estratégicas com estes dois aliados em 2010.

Rússia não mudou sua doutrina desde a implementação das restrições de armas nucleares em 2010. Mas a afirmação do poder russo no Ocidente (na Ucrânia), no Norte (no Ártico) e no Oriente (China) agita o status de tensão. "A guerra ainda é possível na Europa", disse o presidente francês François Hollande durante um discurso no início deste ano. 

ARSENAIS DA PRÓXIMA GERAÇÃO

O presidente russo, Vladimir Putin desenvolveu uma retórica intimidante a respeito dessas questões. Embora os EUA tenham sido conservadores no poder, com a sua supremacia tecnológica de armas convencionais, Putin tem ampliado o uso de suas armas táticas . No início de 2015, a OTAN teve de considerar uma redução potencial na área de uso da bomba depois da Rússia dispararam um míssil de alcance intermediário (500 a 5500 milhas), que os EUA consideram uma violação do tratado.

"A redução do arsenal russo estratégico que ocorreu nas últimas duas décadas chega ao fim, como há agora 500 lançadores e 2.400 de ogivas no mundo", aponta o Boletim dos Cientistas Atômicos. "A fim de permanecer abaixo dos limites de 1.550 ogivas após 2018 fixados pelo comitê da New Start, a Rússia terá que reduzir o seu número de ogivas carregadas em alguns de seus mísseis."

Mas o tempo de desarmamento não chegou. A Arma Nuclear Unidos (NWS) estão preparando a próxima geração de seus arsenais nucleares. Eles estão tentando melhorar o alcance de suas armas, bem como a sua precisão, e as capacidades de penetração de sistemas balísticos. Em 2012, Putin anunciou que o exército iria adquirir 400 novos mísseis balísticos intercontinentais em 2020. Os Estados Unidos lançou um plano de 320 bilhões até 2025. Para a França, a modernização poderia custar o dobro do que o país gasta atualmente em seu arsenal.

Embraer entrou em 2015 como a 55ª maior empresa de material de Defesa do mundo.

Tucanocolombiano
A indústria aeronáutica Embraer entrou no ano de 2015 como a única empresa brasileira entre as 100 maiores do mundo no setor de Defesa, informou, esta semana, o prestigiado site americano de assuntos militares Defense News.

De acordo com essa pesquisa, intitulada Top 100 Global Defense Companies, em 2014 a corporação do Brasil subiu cinco posições no ranking Top 100, em relação ao ano de 2013.

O relatório aponta que as receitas da Embraer com o setor de Defesa totalizaram, no ano passado, 1.459.500.000 dólares, o que significa um crescimento de 32,5% em relação a 2013 – quando esse total não superou a marca de 1,101 bilhão de dólares.

A lista informa ainda que a receita total da Embraer em 2014 foi de 6.357.600.000 dólares, e que os produtos de aplicação militar representaram 23% do faturamento.

Na 55ª posição a Embraer ficou diretamente à frente de três das mais expressivas marcas do segmento internacional de Defesa: Fincantieri (56º lugar), Nexter (57º) e Dassault Aviation (58º).

O grupo Kraus-Maffei Wegmann ficou na 70ª posição; o Ruag suíço em 86º e o sul-africano Denel em 100º.

Tropas venezuelanas ocupam depósitos de Nestlé, Pepsi e Empresas Polar


Tropas venezuelanas ocuparam um complexo de armazéns em Caracas utilizado pela gigante local de alimentos Empresas Polar, a Nestlé e a Pepsi para distribuir comidas e bebidas, disseram funcionários e representantes das companhias nesta quinta-feira.

O movimento segue meses de acusações do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, de que a Polar, maior empregadora privada do país, está trabalhando para sabotar a economia. A empresa nega.

O antecessor de Maduro, Hugo Chávez, expropriou vários armazéns da Polar, em alguns casos, argumentando que o espaço deveria ser usado para construir casas para os pobres.

Cerca de 50 funcionários protestaram dentro do complexo, incluindo no topo de uma torre de água, com terceirizados se juntando a eles em solidariedade no lado de fora, num bairro pobre no oeste de Caracas.

"Se nós não trabalhamos, nós não comemos", disse Carlos Muñoz, motorista de caminhão, de 43 anos, um funcionário terceirizado da Polar. Ele transporta comida e bebida do armazém para lojas e distribuidoras.

"Não há comida na Venezuela e agora eles fazem isso! Como as pessoas vão comer?"

Funcionários disseram que dezenas de soldados da Guarda Nacional e da polícia tomaram o edifício na quarta-feira à noite. Soldados da Guarda Nacional permaneciam dentro do complexo. Pichações nas paredes diziam "Não à expropriação".

Profecia de Fidel Castro se cumpre após 40 anos

Em 1973, quando a Guerra do Vietnã chegava ao fim e a Guerra Fria parecia uma condição mundial eterna, o então primeiro-ministro de Cuba, Fidel Castro, fez uma previsão que se cumpriria 40 anos depois. 

Em uma coletiva de imprensa, o jornalista inglês Brian Davis perguntou: “Quando o senhor acha que poderão ser reestabelecidas as relações entre Cuba e os EUA, dois países tão distantes um do outro, apesar da proximidade geográfica?”. Ao que Fidel respondeu, em voz alta, para que todos do recinto ouvissem: “Os EUA só voltarão a dialogar conosco quanto tiverem um presidente negro e quando o mundo tiver um papa latino-americano”. 

Embora alguns jornalistas tenham rido, a maioria se limitou a lançar um sorriso irônico. Ninguém na coletiva jamais suspeitaria que Fidel Castro tinha acabado de predizer o futuro, no melhor estilo Nostradamus. O fato foi resgatado pelo jornalista e escritor argentino Pedro Jorge Solans. 

Riscos misteriosos são encontrados em lua de Saturno


Cientistas querem desvendar um mistério recém-descoberto em uma das luas de Saturno. Imagens captadas em Tétis pela sonda Cassini, da Nasa, deixaram os pesquisadores intrigados. 

Os riscos em forma de arcos vermelhos que apareceram na superfície do satélite foram descritos pelo comunicado da agência espacial norte-americana como semelhantes a um “grafite feito por um artista desconhecido”. A origem dos riscos ainda é desconhecida. De acordo com os cientistas, uma das possibilidades é que seja gelo exposto misturado a impurezas químicas. Outra teoria é que seria o resultado de vazamento de gás de Tétis. 

Segundo Paul Helfenstein, um dos cientistas que analisam as imagens, os arcos vermelhos podem ser geologicamente recentes, devido a suas características. A equipe deve explorar ainda mais de perto os arcos em novembro. A sonda Cassini está em órbita há 11 anos e ainda é capaz de fazer descobertas surpreendentes.

Vacina contra ebola se mostra 100% eficaz


Medicação experimental testada em cerca de 4 mil pacientes na Guiné abre caminho para possível "reviravolta". "Acreditamos que o mundo esteja prestes a ter uma vacina eficaz contra o vírus", comemora OMS.

O mundo está, pela primeira vez, próximo de ser capaz de proteger os seres humanos do vírus mortal ebola, anunciou a Organização Mundial da Saúde (OMS), nesta sexta-feira (31/07). Uma vacina experimental testada em milhares de pessoas na Guiné mostrou ser 100% eficaz.
A vacina conhecida como VSV-ZEBOV ou VSV-EBOV foi testada em 4 mil pessoas que tiveram contato próximo com pacientes infectados pelo ebola. Os testes foram realizados como parte de um estudo realizado pela agência canadense de saúde, a empresa farmacêutica americana Merck e a OMS.
Os participantes receberam a droga durante um prazo de dez dias, após terem sido identificados como possíveis portadores do vírus. "Acreditamos que o mundo esteja prestes a ter uma vacina eficaz contra o ebola", disse a especialista em vacinas da OMS, Marie Paule Kieny, em Genebra.
Atualmente ainda não há tratamentos ou vacinas licenciadas para o vírus, que já matou mais de 11 mil pessoas na África Ocidental desde a eclosão do surto mais recente, em dezembro de 2013.
Caso sua eficácia seja comprovada, a vacina poderá proporcionar uma grande "reviravolta", segundo a diretora-geral da OMS, Margaret Chan.
De acordo com a OMS, os testes continuarão e serão estendidos para incluir jovens entre 13 e 17 anos, além da possibilidade de incluir no futuro crianças de seis a 12 anos.

Fonte: DW

Ataques no sudeste do Iêmen deixam 6 militares mortos

Ataques no sudeste do Iêmen deixam 6 militares mortos. EFE/Yahya Arhab

Pelo menos seis militares morreram e mais de 50 se feriram em dois ataques nesta sexta-feira na província de Hadramaute, no sudeste do Iêmen, informaram à Agência Efe fontes de segurança.

Supostos terroristas detonaram dois veículos carregados de explosivos perto de dois postos militares que pertencem à Brigada 135 de Infantaria do Exército do Iêmen, em Wadi Ser. Essa Brigada é vinculada a Primeira Zona Militar, controlada pelas forças leais ao presidente iemenita, Abdo Rabbo Mansour Hadi, exilado na capital da Arábia Saudita.

A fonte, que não descartou a possibilidade que os atacantes pertençam à rede terrorista Al Qaeda, explicou que os atentados foram seguidos de enfrentamentos entre os "terroristas", que acompanhavam os suicidas e os soldados dos respectivos postos.

Por outro lado, uma fonte militar disse à Agência Efe que o segundo ataque aconteceu contra o mesmo quartel militar. Segundo sua versão, um carro-bomba explodiu na entrada das instalações e posteriormente outro suicida conseguiu entrar com seu veículo e detonar os explosivos que transportava. Após as explosões, dezenas de criminosos em carros 4x4 começaram a disparar com fuzis automáticos e lança-granadas RPG antes de fugir.

A capital de Hadramaute, Al Mukalla, está sob controle da Al Qaeda desde o abril, quando combatentes do grupo terrorista lançaram um ataque aproveitando o vazio de poder que existe no país como consequência do conflito que os rebeldes xiitas e as forças leais ao presidente Abdo Rabbo Mansour Hadi mantêm.

Fonte: EFE

Inundações no Paquistão deixam 92 mortos; 340 mil pessoas foram evacuadas

Inundações afetam o Paquistão há duas semanas. EFE/Faisal Kareem

Pelo menos 92 pessoas morreram e 340 mil tiveram que ser evacuadas pelas inundações que afetam o Paquistão há duas semanas e onde cinco distritos permanecem em alerta por possíveis transbordamentos de rios, informaram nesta sexta-feira fontes oficiais.

O número de afetados pelas inundações chega a cerca de 600 mil, enquanto 812 povoações permanecem sob a água, segundo o último balanço oferecido pela Autoridade de Gestão de Desastres Nacional (NDMA).

A NDMA anunciou para as próximas 24 horas tempestades com descargas elétricas e chuvas moderadas nos principais rios em sua passagem pelas quatro províncias do país.

Há três meses, as fortes chuvas e fortes ventos assolaram o noroeste do Paquistão, causando a morte de 50 pessoas e 200 feridos.

As chuvas associadas à monção deixam a cada ano grandes danos pessoais e materiais nos países do Sul da Ásia.

As piores inundações da história paquistanesa ocorreram em 2010, após uma monção extraordinariamente intensa, que uniu-se a um degelo estival também especialmente abundante e deixou dois mil mortos e mais de 20 milhões de afetados.

Fonte: EFE