terça-feira, 28 de julho de 2015

Conheça as ferramentas que impedirão Irã de burlar acordo nuclear

BBC
Caberá a um órgão verificar se o Irã está cumprindo ou não com o acordo nuclear fechado com potências ocidentais: a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

O órgão da ONU terá papel crucial no novo acerto e será os "olhos e ouvidos" da comunidade internacional no Irã, disse seu diretor-geral, Yukiya Amano.

É um trabalho complicado, desafiador e delicado em termos diplomáticos. O Irã terá de reduzir sua infraestrutura nuclear e cortar drasticamente suas reservas de urânio de baixo enriquecimento. Em troca, terá um alívio das sanções econômicas que atingem o país.

Teerã aceitou também colocar em prática um Protocolo Adicional da AIEA, que dará aos inspetores maior acesso às instalações iranianas.

Assim, inspetores terão "uma imagem mais completa" do programa nuclear iraniano, disse Laura 
Rockwood, ex-assessora legal do departamento de garantias da AIEA.

"É um pouco como um quebra-cabeças", disse. "Quanto mais peças a AIEA tiver deste quebra-cabeças que é o programa nuclear iraniano, mais fácil será para o órgão saber se ele se encaixa na imagem de um programa nuclear pacífico."


A AIEA já tem inspetores no Irã, mas diplomatas garantem que este protocolo aumentará significativamente o trabalho que têm e colocará o orçamento do órgão sob pressão.

Robert Kelley, ex-diretor de inspeções da agência, disse que a natureza de um trabalho tão especializado significa ser difícil a contratação rápida de novos funcionários.
"Aumentar os trabalhos (no Irã) significará diminuição em outros países", disse.

Por outro lado, o uso de tecnologia mais avançada ajudará os inspetores. As novas ferramentas incluem lacres inteligentes de fibra ótica, que podem enviar alertas caso manipulados.

Há, também, um detector que indica aos inspetores os níveis de enriquecimento num tubo ou centrífuga de urânio sem a necessidade de tomar amostras físicas e levá-las a Viena para análise.

Inspetores terão mais tecnologia de ponta nos laboratórios em Seibersdorf, na Áustria, que foram recentemente renovados. As melhorias incluem um novo espectrômetro de massa de US$ 4,2 milhões, que pode detectar vestígios de materiais nucleares.

Mas além de se preocupar com pressões financeiras, a AIEA terá de lidar com situações delicadas. O Irã se comprometeu a esclarecer qualquer possível dúvida da agência sobre a dimensão militar de seu programa nuclear.

Defensores e opositores do acordo estarão atentos ao trabalho do órgão e se o Irã contribuirá ou não. Em entrevista recente à BBC, Amano destacou a natureza técnica do trabalho da AIEA e a necessidade do Irã ser "o mais transparente possível."

No passado, Teerã acusou a agência de ser parcial. Por outro lado, há o temor de que eventuais violações sejam encobertas para que o acordo seja salvo.

Fonte: BBC

Nenhum comentário:

Postar um comentário