segunda-feira, 27 de julho de 2015

Confrontos e bombardeios violam primeiro dia de trégua no Iêmen

A Agência de notícias "Saba" afirmou que oito houthis e combatentes de Saleh morreram em confrontos. EFE/Yahya Arhab
Os combates no Iêmen continuaram nesta segunda-feira, primeiro dia de trégua humanitária declarada unilateralmente pela coalizão liderada por Riad, a quem os rebeldes houthis acusaram de efetuar bombardeios.

Testemunhas disseram à Agência Efe que os primeiros choques explodiram nas províncias de Taiz, Lahesh e Al Dalea, no sul do país, e em Marib, no norte, pouco depois da entrada em vigor do cessar-fogo, à meia-noite.

Em Taiz, a luta entre os houthis, apoiados pelas forças do ex-presidente Ali Abdullah Saleh, e a milícia Resistência Popular, leal ao presidente exilado, Abd Rabbuh Mansur Al-Hadi, aconteceu em áreas residenciais dos arredores dos montes Sabr.

Fontes dos dois lados disseram à Efe que os combatentes empregaram artilharia, morteiros e metralhadoras nestes enfrentamentos e no bairro de Al Rawda, no centro da cidade de Taiz.

A agência de notícias iemenita, "Saba", com base em Riad e leal a Hadi, informou que oito houthis e combatentes de Saleh morreram em confrontos na região de Mashraa, nos montes Sabr.

As forças houthis e de Saleh lançaram uma intensa ofensiva, com todo tipo de armas contra os bairros de Kalaba, Al Shamsi, Al Rawda, Asifra e Ammar bin Yasser, que deixaram mortos e feridos, segundo Saba.

A agência governamental também acusou os houthis e seus aliados de bombardearem várias zonas residenciais da cidade de Al Dalea.

Já meios de comunicação dos houthis informaram que aviões de combate sauditas bombardearam na manhã de hoje várias áreas residenciais e localidades da província de Saada.

Além disso, os ataques aéreos tiveram como alvo posições militares dos houthis em Saada - reduto dos rebeldes - e Lahesh.

Moradores da província de Amran, vizinha a Saada, revelaram em declarações por telefone a Efe que aeronaves da coalizão árabe sobrevoam desde de manhã cidades da região, o que provocou pânico entre a população.

Os aviões também sobrevoaram a capital Sana, onde foram ouvidos disparos de baterias antiaéreas.

A coalizão anunciou uma trégua humanitária unilateral de cinco dias a partir das 23h59 (17h59 em Brasília) de ontem, que responde a um pedido de Hadi, refugiado em Riad.

A trégua anterior, aceita por rebeldes e autoridades iemenitas e apoiada pela ONU, começou em 10 de julho e durou uma semana, embora tenha sido violada por ambas as partes e a situação no terreno para as organizações humanitárias tenha continuado muito complicada.

Fonte: EFE

Nenhum comentário:

Postar um comentário