sábado, 17 de agosto de 2013

Navio Patrulha "Classe Grajaú"

P-40 Grajaú (CLASSE GRAJAÚ)


Número de amura               Nome do navio      Comissionamento        Estaleiro
P-40                                     Grajaú                     1999                              AMRJ
P-41                                     Guaíba                    1994                              AMRJ
P-42                                     Graúna                    1994                              Estaleiro Mauá
P-43                                     Goiana                    1997                              Estaleiro Mauá
P-44                                     Guajará                   1995                              Peene-Werft GmbH
P-45                                     Guaporé                  1995                              Peene-Werft GmbH
P-46                                     Gurupá                    1995                              Peene-Werft GmbH
P-47                                     Gurupi                     1996                              Peene-Werft GmbH
P-48                                     Guanabara               1999                              INACE
P-49                                     Guarujá                    1999                              INACE
P-50                                     Guaratuba                1999                              Peene-Werft GmbH
P-51                                     Gravataí                   2000                              Peene-Werft GmbH
P-11                        NS Brendan Simbwaye         2009                              INACE



C a r a c t e r í s t i c a s

Deslocamento: 197 ton (padrão), 217 ton (carregado).
Dimensões: 46.5 m de comprimento, 7.5 m de boca e 2.3 m de calado.
Propulsão: 2 motores diesel MTU 16V 396 TB94 de 2.740 bhp cada, acoplados a 2 eixos com hélices de três pás e passo fixo.
Combustível: 23 tons.
Eletricidade: 3 geradores no total de 300 Kw.
Velocidade: máxima de 26.5 nós e máxima mantida de 22 nós.
Raio de ação: 2.200 milhas náuticas (4000Km) à 12 nós (10 dias de autonomia).
Armamento:

1 canhão Bofors L/70 de 40 mm
2 metralhadoras Oerlikon Mk-10 de 20mm em dois reparos singelos.
Sensores:
1 radar de navegação Decca 1290A, banda I.
Equipado com GMDSS - Global Marine Distress and Safety  
Ecobatímetro
Radiogoniômetro
Navegação por satélite
Equipamento de visão noturna
Equipamentos:
1 lancha de casco semi-rigido (RHIB), com capacidade para 10 homens 
1 bote inflável para seis homens, usados para salvamentos e abordagens.
1 guindaste eletro-hidráulico com capacidade para 620kg.
Comunicações:
MF, HF,VHF e UHF

Código Internacional de Chamada: PWGJ
Tripulação: 29 homens, sendo 4 oficiais e 25 praças.


Armamento

Canhão Bofors L/70 de 40 mm


Fabricante da torre: Bofors / BAE Systems
Função principal: Defesa Anti-Aérea - Ataque de superficie 
Calibre da arma: 40mm
Munição:
EX-T: munição de exercício traçante;
AE-T-AD: munição alto explosiva, traçante, com autodestruição;
EX-AA: munição de exercício, anti-aérea, com espoleta de proximidade;
PFAE: munição alto explosiva, com espoleta de proximidade e granada pré-fragmentada
3P:munição alto explosiva, com granada pré-fragmentada e espoleta de proximidade programável.
Cadência de tiro: 300 disparos p/min.
Alcance máximo: 12Km (7.5Milhas)
Peso da munição: 1Kg
Alcance Antiaéreo : 6.5Km
Peso da torre: 2000Kg
Tripulação: 1
Numero de canhões do sistema:1
Elevação: 75°



20mm Oerlikon/BMARC GAM-BO1    

Fabricante: Rheinmetal Defense
Função principal: Anti-navio
Calibre: 20mm
Cadência de tiro: 900 disparos p/min.
Alcance à superficie: 2Km
Elevação máxima: 55º
Nr. de canhões: 1
Tripulação: 1



Os patrulhas da classe Grajaú são, o resultado dos planos brasileiros para a construção, a partir da década de 80 de 12 navios de patrulha oceânica (NPO), 12 navios de patrulha costeira (NPC) e 12 navios de patrulha fluvial (NPF). Varias circunstancias, entre as quais se destacam questões de financiamento, e alterações estratégicas, levaram a que o Brasil cancelasse o programa de NPO's, optando por adquirir pequenos patrulhas oceânicos em segunda mão.

Os NPO's brasileiros eram considerados na altura navios combatentes e não grandes patrulhas, como se vem a tornar norma nos dias de hoje - vide programa da marinha portuguesa NPO-2000.

Assim, o programa foi cancelado e prosseguiu o programa dos NPC's. Optou-se por um projecto britânico da empresa Vosper Thornycroft da qual havia já duas unidades em operação na marinha do Bangladesh.

O programa demorou sete anos, desde a data de lançamento do primeiro navio até à comissão do ultimo. Seis foram construidos no Brasil e os outros seis na Alemanha. São navios equilibrados e correspondem ás tarefas para as quais foram pensados, entre as quais se encontram, patrulha e salvamento marítimo. A sua autonomia e capacidade para ficar até 18 dias no mar são um factor importante em favor destes navios. No entanto, o seu numero é algo limitado, para uma costa com as características da costa brasileira, e igualmente para os grandes rios do norte e nordeste.

Os últimos 7 navios estão equipados com canhões Oerlikon/BMARC mais recentes. Os prineiros 5 estão equipados com canhões Oerlikon mais antigos.
-Os navios estão ainda equipados com uma grua telescopica com capacidade para 600 Kg.











Nenhum comentário:

Postar um comentário