quarta-feira, 1 de maio de 2013

HM-1 Pantera (AS-565 Panther)

AS-565 Panther


FICHA TÉCNICA

Designação Local:AS365-K / HM-1
País: Brasil
Qtd: Max/inicial:36 
Em serviço:34
Comprimento: 11.6 M
Envergadura: 11.9 M
Altura: 3.9
Motores: 2 x motores TURBOMECA/SAFRAN Arriel 1M1
Potência total: 1566 HP/CV
Peso vazio: 2255 Kg
Peso máximo/descolagem: 4250 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: 1600 Kg
Tripulação : 2
Passageiros: 8 a 10
Velocidade Maxima: 296 Km/h
De cruzeiro: 230 Km/h
Autonomia standard /carregado : 650 Km
Autonomia máxima / leve 875 Km.

Canhões: - 1 x 20mm M-621 (Calibre: 20 )

O AS 565 é um helicoptero ligeiro multi-funções, versão militar da aeronave AS-365 Dauphin-2, que por sua vez é uma versão do anterior Dauphin-1 monomotor.

O seu primeiro voo ocorreu em 1984 e começou a ser produzido em 1986. Existem duas versões do Panther militar. Uma versão para o exército e uma versão para a marinha.
As pás das hélices podem ser dobradas, e removidas com facilidade.
A aeronave tem um grande numero de componentes em fibra de carbono e materiais plásticos compostos, de grande resistência e durabilidade.

 A versão naval chama-se MA/SA e está normalmente equipada com sistemas especificos para as necessidades navais, nomeadamente com sistemas que permitem a utilização de mísseis anti-navio de longo alcance.



Modernização


Primeiro helicóptero Pantera modernizado do Exército Brasileiro inicia testes de voo

O primeiro helicóptero Pantera HM-1 modernizado pela Helibras pertencente à frota da Aviação do Exército Brasileiro (AvEx) acaba de iniciar os voos correspondentes ao programa de ensaios da nova configuração. Designado Pantera K2 pela empresa, a entrega dessa primeira aeronave do modelo esta prevista para acontecer no próximo mês de dezembro. Além de celebrar a implantação de um importante modelo de negócios, ou seja, o upgrade de aeronaves militares, conceito já adotado em diversos países, a empresa de Itajubá, MG, conclui também mais uma etapa do processo de capacitação de seus técnicos, condição que será importante para transformá-la em um dos pilares mundiais do grupo Eurocopter.

 No caso do contrato firmado entre a Helibras e o Exército Brasileiro, o helicóptero HM-1 modernizado que acaba de iniciar voos de testes é o primeiro de um total de 34 unidades que serão submetidas ao processo. Os aparelhos receberão uma nova cablagem, novo capô do motor, tela VEMD integrada a um novo glass cockpit, novo piloto automático de quatro eixos, novo motor Arriel 2C2CG capaz de desenvolver uma potencia máxima 40% maior do que o propulsor anterior, entrada de ar e radiador maiores e uma caixa de transmissão principal totalmente modernizada. Também contarão com novos radares meteorológicos e altímetros, modernos rádios de navegação e de comunicação, além de um novo rotor de cauda, aumentando significativamente a performance e a segurança de operação dessas aeronaves. A modernização do Pantera HM-1 para o padrão K2 possibilitará estender as vidas úteis desses helicópteros por mais 25 anos, sendo que o último deverá sair das linhas de montagem da empresa em 2021.

Marco Wagner, gerente do Programa Pantera K2 da Helibras, explica que após as fases que incluíram aperfeiçoamento do projeto preliminar e o detalhamento da nova configuração da aeronave, trabalho executado pelo centro de engenharia da Helibras, bem como o envio de engenheiros e mecânicos para a Eurocopter, na França, para participarem de treinamento “On The Job”, a empresa esta finalizando os estudos para certificação e qualificação, além da formação de pilotos e instrutores.


Segundo a Helibras, o projeto está proporcionando para a empresa um importante salto tecnológico, o qual juntamente com a fabricação do modelo EC725 e demais programas em andamento, levarão ao desenvolvimento e concepção do novo helicóptero brasileiro previsto para 2020.

“A parceria entre a Helibras e as Forças Armadas, construída a partir de uma visão de futuro, já está gerando benefícios para toda a sociedade, ampliando a malha industrial brasileira, além de ser um passo estratégico dentro do programa de expansão da empresa, já que traz o domínio de importantes tecnologias, oferecidas em um modelo de grande performance, como o caso da família Dauphin, da qual deriva à versão militar Pantera”, avalia Eduardo Marson Ferreira, presidente da Helibras.



Montados no Brasil pela Avibrás, em Minas Gerais, os Panther, são considerados no exército brasileiro como helicópteros de manobra, estando-lhes reservado o transporte de militares. Embora seja possível a instalação de uma metralhadora lateral de calibre 12,7mm colocada do lado esquerdo.
 O Brasil não usa o canhão de 20mm GIAT M621 utilizado por alguns exércitos.
 Os helicópteros brasileiros estão equipados com um motor MAKILA-I



Ultimas Matérias



Um comentário: