sábado, 25 de maio de 2013

RQ-450 da FAB (Hermes 450)

Hermes 450


Dados do Fabricante

O Elbit Systems Hermes 450 é um Veículo aéreo não tripulado (VANT) fabricado pela Israelense Elbit Systems projetado para longas missões táticas de resistência. Tem uma autonomia de mais de 20 horas, com a missão primária de vigilância, reconhecimento e retransmissão de comunicações.

O modelo 450 é o modelo intermédio da família Hermes de aeronaves de vigilância não tripuladas.
O Hermes-450 pode voar a distâncias de até 200km do posto de comando, e pode igualmente utilizar satélites para navegar.
O Hermes-450 é completamente autonomo e não precisa de intervenção dos operadores para voar. Da mesma forma, o seu piloto automático permite a aterragem em pequenas pistas semi-preparadas.
O motor da aeronave, é um motor tipo Wankel, fabricado na Grã Bretanha pela U.E.L. - Uav Engines Ltd.
Em 2008, um destes veículos, propriedade da Georgia foi abatido por um avião MiG-29 russo que entrou em território georgiano, lançou um míssil de curto alcance contra a aeronave.

O Hermes na FAB
 A Força Aérea Brasileira (FAB) adquiriu dois Hermes 450 junto à empresa brasileira Aeroeletrônica, representante nacional da israelense Elbit Systems. O valor total da compra foi de mais de R$ 48,17 milhões, incluindo, além das aeronaves, uma estação em solo, sensores e apoio logístico.

Os dois Vants integram o Esquadrão Hórus, baseado em Santa Maria (RS), e estão em operação desde 26 de abril de 2011. A FAB planeja a aquisição de novas unidades nos próximos anos em bases nas regiões Norte e Centro-Oeste do País.

A primeira missão
 O novo avião não tripulado da FAB teve seu batismo de fogo em agosto deste ano, durante a Operação Ágata, realizada na fronteira com a Colômbia. Em apenas algumas horas de voo, o Hermes 450 localizou uma pista de pouso clandestina utilizada por criminosos na região conhecida como Cabeça do Cachorro, no meio da Amazônia. Com as informações coletadas pelo Vant, quatro caças A-29 Super Tucano decolaram de São Gabriel da Cachoeira (AM) para bombardear a pista de 1,6 mil m. Foram utilizadas oito bombas de 230 kg cada, que abriram crateras que inviabilizam o pouso ou decolagem até de pequenas aeronaves no local.

Operação
 A tripulação do Hermes 450 - um aviador e um operador de sistemas - opera a aeronave remotamente em terra e, dessa forma, não fica exposta a um eventual ataque inimigo. Além da tripulação, há uma equipe de manutenção e de apoio às telecomunicações, que permite a retransmissão das informações enviadas pela aeronave para centros de controle em qualquer região do País. Devido a seu tamanho compacto, o Hermes 450 pode ser transportado a bordo de aviões de carga, o que permite a sua atuação em todo o território nacional.


Ficha Técnica

Dimensões:
Comprimento: 6.1 M
Envergadura: 10.5 M
Altura: 0

Motores/ Potência
1 x motores UEL
Potência total: 52 HP/CV

Peso / Cap. carga
Peso vazio: 450 Kg
Peso máximo/descolagem: 800 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: 150 Kg
Tripulação : 0
Passageiros: 0 a 0

Velocidade / Autonomia
Velocidade Maxima: 170 Km/h
Máxima(nível do mar): 170 Km/h
De cruzeiro: 120 Km/h
Autonomia standard /carregado : 2200 Km
Autonomia máxima / leve: 2600 Km.
Endurance: 20 horas (450LE - 30 horas)
Teto de serviço: 5.486 m (18.000 pés)
Taxa de subida: 4.6 m / s (900 pés / min)

Equipamentos
 O Hermes 450 é equipado com sistemas óticos capazes de localizar e acompanhar alvos em tempo real tanto de dia quanto de noite, podendo voar por períodos de até 16 horas. O Vant é todo automático, mas o aviador gerencia todas as etapas da missão, podendo determinar uma rota de voo ou pilotar a aeronave manualmente. Entre os equipamentos está uma câmera colorida com zoom e um sistema que capta imagens por calor, possibilitando a localização de pessoas sob a copa de árvores. Dependendo da distância do alvo, segundo a FAB, é possível até mesmo descobrir se as pessoas estão armadas.

Operadores

Azerbaijão
Em junho de 2008, o Azerbaijão encomendou dez Hermes 450,escolhê-lo em relação aos outros modelos de VANTS por causa da sua "invisibilidade sobre a anti-aérea inimiga"2 Em 12 de setembro de 2011,um VANT teria sido derrubado pelo braço de defesa aérea do Exército de Defesa do Nagorno-Karabakh (NKDA) sobre o espaço aéreo de República do Nagorno-Karabakh (perto da aldeia de Vazgenashen na província de Martuni).3 Investigações preliminares realizadas pelo NKDA determinaram o modelo a ser um tipo de Hermes 450.4
Botswana 5

Brasil
A Força Aérea Brasileira (FAB) tem, desde Dezembro de 2009 uma unidade em regime de locação para um ano de testes e avaliações em conjunto com o Exército Brasileiro e Marinha do Brasil; 6 há planos de comprar mais dois.7 Em junho de 2011 a FAB criou o primeiro esquadrão brasileiro apenas com VANTS, contando com 2 VANTS, este sediado em Santa Maria (RS). 8

Croácia
Dois Hermes 450 foram encomendados pelo exército croata, juntamente com dois menores Skylark UAVs no final de 2006, entregue no final de 2007.

Chipre
A Força Aérea do Chipre está operando um Esquadrão de VANT (2 grupos de VANTs).

Geórgia
Hermes 450 também têm sido usadas pela Geórgia para reconhecimento sobre o território disputado com Abecásia, onde alguns foram derrubados.

México
A Força Aérea Mexicana adquiriu o sistema Hermes 450 em 2009.9 10

Singapura
O Ministério da Defesa de Cingapura anunciou que a Força Aérea da República de Singapura a adição dos Hermes 450 à sua frota de veículos aéreos não tripulados, como parte da nova Força Aérea VANT de comando11

Israel
A Força Aérea Israelense opera um esquadrão de Hermes 450 na Base Aérea Palmachim no sul de Tel Aviv,onde foi adaptado para uso como um VANT de assalto,dois misseís Rafael . De acordo com israelenses, palestinos, libaneses e relatórios independentes, os ataques de Israel com VANTS na faixa de Gaza tem sido constantes e foi usado intensivamente na Segunda Guerra do Líbano, bem como nos ataques aéreos.

Reino Unido
O H450 é operado pelo 32nd Regiment Royal Artillery do Exército Britânico em operações militares no Afeganistão e no Iraque.Na versão Britânica o Hermes usa giroscópios a laser em seu Sistemas de navegação inercial.Ele não tem a opção de armamento nas asas. Os Hermes 450 são a base do Watchkeeper WK450 do Exército Britânico, desenvolvimento de que teve início em julho de 2005 em conjunto com Thales. Watchkeeper está programado para substituir Hermes em 2010.

Estados Unidos
Os Hermes 450 são operados pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos,Joint Unmanned Aerial Vehicles Test e Evaluation Program no "Naval Air Station Fallon" 12 e dois Hermes 450 foram testadas pelo "United States Border Patrol" em 2004








sábado, 11 de maio de 2013

UH-60 Black Hawk


UH-60 Black Hawk

O UH-60 Black Hawk é um helicóptero utilitário de carga média, rotor duplo e quatro pás, fabricado pela empresa americana Sikorsky Aircraft .  Sikorsky Aircraft apresentou o projeto de Sikorsky S-70 para UTTAS concorrência (sigla em Inglês de Sistema Utility Tactical Transport Aircraft) organizados pelo Exército dos EUA em 1972 para um utilitário helicóptero de transporte tático.  O Exército designou o protótipo como o YUH-60A e, depois de competir contra o Boeing Vertol YUH-61 , foi escolhido como o vencedor do programa, em 1976 .  O UH-60A entrou em serviço com o exército dos EUA em 1979 , para substituir o UH-1 Iroquois como helicóptero de transporte tático.


História 


Suas origens são baseadas em conhecimento adquirido pelos norte-americanos no Vietnã, como o próprio helicóptero provou ser uma arma muito poderosa ao implantar tropas em terreno difícil. 

O UH-1 Huey amplamente demonstrado ser uma aeronave que pudesse ser usado como uma plataforma de apoio a ser caça ou transporte e tropas de resgate na parte da frente, no entanto, o Exército dos EUA começou a pensar em um substituto para este helicóptero porque era fraco como apenas dois rotores de lâminas e material rodante não foi construído para aterragens de emergência. 

Consciente disso, Bell e Sikorsky começou seus estudos, o último foi mais pressão porque Sino havia vencido os dois últimos contratos militares com o UH-1 Huey e AH-1 Cobra , que era desenvolver um helicóptero foi capaz de sobreviver ao impacto.



O Black Hawk foi desenvolvido para trazer um pedido do Utility Tactical Sistema de Aeronaves de Transporte do Exército dos EUA (UTTAS) de um substituto para o UH-1 Iroquois em janeiro de 1972.  Quatro protótipos foram construídos, o primeiro (YUH-60 ) teve seu primeiro vôo em outubro de 1974, e avaliado contra um rival projetado pelo Boeing-Vertol , o YUH-61A .  Uma avaliação preliminar em novembro de 1975 decidiu enviar os protótipos para o Exército dos EUA.  A avaliação conduzida para determinar se a aeronave poderia ser operado com segurança pelo piloto do exército típicos.  Três dos protótipos foram enviados para o Exército dos EUA em março de 1976, e foi mantido pela Sikorsky para fins de avaliação interna.  O Black Hawk foi escolhida para ser utilizado eo UH-60A entrou em serviço com o Exército dos EUA, em 1979. 

No final dos anos 80, o modelo foi atualizado no UH-60L (primeira aeronave de produção 89-26179), que contou com mais poder e elevador com a construção do modelo de motor GE-701C.  Um novo modelo foi criado, o (UH-60M), que estendeu o tempo de serviço do projeto do UH-60 até a década de 2020, mostra ainda mais poder e elevação de status e instrumentos eletrônicos, controles de vôo e controle de navegação da aeronave. 

A Força Aérea Mexicana ordenou seus primeiros dois UH-60L, em 1991, para o transporte de unidades de forças especiais, depois adquirir mais quatro em 1994.  Entre julho e agosto de 2009, a Polícia Federal usou seu UH- 60 em ataques contra os traficantes de drogas.  Em 25 de agosto de 2011, a Marinha do México recebeu três UH-60M no âmbito do programa de ajuda Iniciativa Mérida .  Em março de 2009, os Estados Unidos se comprometeram a helicópteros fornecer preço baixo e equipe diversificada, sob a Iniciativa Mérida para lutar contra os cartéis de drogas na guerra contra o narcotráfico no México




O UH-60L usa duas confiaveis turbinas General Electric T-700-GE-701C cuja potencia maxima atinge 1940 Hp cada que permitem voar a uma velocidade maxima que supera so 300 km/h. A autonomia do Black Hawk para travessias é de incriveis 2200 km, usando 4 tanques de combustivel externos. Porém, em missões de combate esse numero cai drasticamente, sendo que o raio de combate fica em 600 km, sem uso de tanques externos. Os Black Hawks podem ser equipados com um tubo retratil de reabastecimento em vôo que usa o sistema de cesta para ser reabastecido por outra aeronave em vôo, aumentando significativamente sua autonomia. O Black Hawk pode transportar 11 soldados totalmente equipados (há possibilidade de levar até 14 soldados, porém estaria acima do que se estabelece como normal para a aeronave), ou 6 macas para evacuação aéromedica. A capacidade de transportar cargas externas, chega a 4072 kg, o que também pode ser considerada relativamente bom para a categoria do Black Hawk. Pode-se dar como exemplo a capacidade do Black Hawk transportar um canhão de artilharia de 105 mm mais 3 granadas e 6 homens numa só viagem.


O Black Hawk é um helicoptero que permite a instalação de uma enorme variedade de sistemas e sensores que aumentam suas capacidades ou o tornam mais eficiente em alguma determinada missão. Assim podem ser instalados um radar de seguimento de terreno APQ-174, um sistema FLIR que fornece imagens de TV e de infravermelho para vôos em condições de adversas de clima e a noite e a integração do oculos de visão noturna NVG. A versão desenvolvida especificamente para apoio a operações especiais do exercito dos Estados Unidos, chamada de MH-60K Pave Hawk, usa todos estes equipamentos, que podem, em outras versões, serem instalados isoladamente. Outros equipamentos que são usados por esta versão são uma suite de navegação baseado no sistema de posicionamento global GPS/ INS, sistema de controle de vôo automatico que permite o uso seguro em vôo a baixissima altitude e a noite e em condições climaticas desfavoraveis.
Para a auto defesa do helicoptero foi instalado um sistema de alerta de radar que informa ao piloto quando algum radar hostil está rastreando o Black Hawk, e lançadores de iscas tipo Chaff e Flare para confundir mísseis inimigos. E já que toquei no assunto auto defesa, o Black Hawk tem uma blindagem capaz de aguenatr disparos de armas leves como fuzis de assalto e de resistir a maioria dos impactos de canhões de calibre até 23 mm.


Imagem: Poder Aéreo (www.aereo.jor.br)

O Black Hawk pode ser armado com metralhadoras em suas janelas laterais, proximo a porta principal. Essas metralhadoras podem ser modelo FN-MAG (M-240 no exercito dos Estados Unidos) em calibre 7,62X51 mm, M-134 Minigun com 6 canos rotativos em calibre 7,62X51 mm (esta arma já foi foco de uma materia sobre ela no Blog Campo de Batalha) ou uma metralhadora em calibre .50 modelo M-2. O Black Hawk pode ser equipado com uma semi-asa com 2 pontos fixos para cargas externas onde podem ser transportados tanques de combustivel ou armamento na forma de casulos lançadores de foguetes Hidra 70 de 70 mm. Casulos contendo canhões de 20 e 30 mm podem ser usados, embora não seja comum. Podem ser tranportados, também um total de 16 misseis antitanque Lockheed Marin AGM-114 Hellfire, um dos mais eficazes misseis antitanque do mundo. O alcance do Hellfire é de mais de 7 km, por tanto fora do alcance dos canhões antiaéreos, e ele destrói, simplesmente, todos os tanques de guerra existentes. Não há nenhum tanque de guerra que continue operando depois de atingido por um Hellfire.

Design 

O Black Hawk pode executar uma variados tipos de missões, incluindo o transporte tático de tropas, guerra eletrônica ou evacuação médica.  A versão VIP conhecido como VH-60N é usado para transportar estado importante e encargos governamentais como congressistas, codinome do helicóptero " Marine One "quando transportar o presidente do Estados Unidos .  Nas operações de assalto aéreo pode transportar um pelotão de 11 soldados com sua equipe ou um obus M102 com 105 projéteis de trinta milímetros e parte quatro servidores em uma única viagem.  Em outra alternativa, pode ser de carga interna 1.170 kg ou 4.050 kg externamente.  O Black Hawk é equipada com aviônicos avançados e eletrônicos para o aumento da sobrevida e capacidade, como o sistema de posicionamento global GPS . 

 O custo da unidade varia de acordo com a versão, devido à variação de especificações, os equipamentos e as quantidades.  Por exemplo, o custo unitário do UH-60L Black Hawk do Exército dos EUA é de 5,9 milhões de dólares , enquanto o custo unitário do MH-60G pavimentam o falcão da Força Aérea dos EUA é de 10,2 milhões dólares.




Variantes

O UH-60 resultou em muitas variantes e muitas modificações diferentes.  A versão padrão do Exército dos EUA pode ser equipado com o "Sistema de Apoio carga externa" (ESSS; externo Sistema de Apoio Stores)  fornecido com asas que lhe permitem realizar até quatro tanques de combustível externos para operações de longo alcance ou variedade de armas,  enquanto as variantes podem ter diferentes capacidades e seus respectivos equipamentos, a fim de cumprir os requisitos.


Utilitários

UH-60A Black Hawk:. Versão Original Exército dos EUA, capaz de transportar quatro tripulantes e um máximo de 11 passageiros  Equipado com motores T-700-GE-700. 

UH-60C Black Hawk: Versão modificada para missões em C2. 

UH-60L Black Hawk: UH-60A com motores atualizados T-700-GE-701C ou T-700-GE-701D/CC,  melhorou a durabilidade da transmissão e amortecedores de vibração adicionais. 
Black Hawk 

UH-60M: UH-60L atualizado com um design melhorado das pás do rotor, o motor T-700-GE-701D, melhor transmissão durabilidade, computador de sistemas de gestão IVHMS veículo (Sistemas de Gestão de Veículos) conjunto integrado de instrumentos e fuga "glass cockpit" moderna.  Previsto para substituir todos os modelos UH-60A UH-60L e do Exército dos EUA. 

UH-60Q Black Hawk: UH-60A modificado para evacuação médica.  Mais tarde redesignado como HH-60A.


Missões Especiais 

EH-60A Black Hawk: Modificado em sistemas elétricos e estações para dois operadores missão sistema eletrônico.  (Todos os tipos de amostras foram tomadas a partir da configuração padrão do UH-60A). 

YEH-60B Black Hawk: UH-60A modificado para instalações de radar especiais e aviônicos, o protótipo do sistema para aquisição de alvos stand-off. 

EH-60C Black Hawk: UH-60A modificado para equipamentos eletrônicos especiais e antena externa.  (Todos os exemplos do tipo foram tomadas a partir da configuração padrão do UH-60A). 

EUH-60L: Atualizado com equipamento eletrônico adicional para a missão C2 Airborne do Exército. 

EH-60L Black Hawk: EH-60A com a atualização de equipamentos de missão primária. 

HH-60L: Variante de os Estados Unidos .  UH-60L extensivamente modificado com equipamentos de missão médica.  Ele inclui um guincho de resgate externo, os pacientes sistema de configuração de sistema de controle ambiental integrado, OBOGS sistema de oxigênio a bordo (sistema de oxigênio on-board), sistema de sucção macas mecânicos de elevação, assentos ambulatório de inclinação, com os cargos de chefe da tripulação médica e deslocados para a área traseira da cabine. 

MH-60A Black Hawk: Modificado com avióncia adicional, o sistema de navegação de precisão, FLIR e capacidade de reabastecimento em vôo.  Equipado com motor T-700-GE-701. 

MH-60K Black Hawk: Variant EUA.  Modificação de operações especiais, utilizados pela 160 Regimento de Aviação de Operações Especiais (Stalkers "Noite"), em Fort Campbell, Kentucky . 

MH-60L Penetrator Ação Direta (DAP): variante americana.  Modificação de operações especiais, operado pelas Operações Especiais 160 Aviation Regiment .  Ele tem capacidade para ser armado com um canhão automático de 30 mm foguetes e 70 mm , bem como metralhadoras M134D operado a partir das portas ou fixo para a frente. 

HH-60M: variante EUA.  UH-60M com equipamentos de missão médica. 

UH-60A RASCAL: NASA versão modificada para o Helicóptero-tripulação Sistemas Conceitos Airborne Laboratório: $ US25M programa para o estudo de manobrabilidade helicóptero em três programas, controles Superaugmented de Desempenho Agile Manobras (SCAMP), Automated Nap-da-terra (Anoe) e Helicóptero agilidade e demonstração de Aperfeiçoamento de Praticagem (RAPID). 

VH-60D Nighthawk: Variante do Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos .  Transporte HH-60D configurado para VIP , utilizados para o transporte presidencial.  Use motor T-700-GE-401. 

VH-60N Whitehawk: Variante do Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos .  Modificado HH-60D utilizados para o transporte presidencial.


                                                Imagem: Poder Aéreo (www.aereo.jor.br)

Versões de Exportação


UH-60J Black Hawk: variante de exportação para a Força Aérea de Auto-Defesa e da Força Marítima de Autodefesa do Japão .  Também conhecida como S-70-12.  Fabricados sob licença pela Mitsubishi Heavy Industries . 

UH-60JA Black Hawk: Versão para exportação para a Terra Força de Autodefesa do Japão .  Também fabricado sob licença pela Mitsubishi Heavy Industries . 

AH-60L Harpia III : Versão para exportação para a Colômbia , COIN versão ataque com eletrônica melhoradas, sistema de disparo, FLIR, radar, foguetes leves e metralhadoras M-60 e GAU-19, desenvolvido pela Força Aérea Colombiana , Elbit Systems e Sikorsky Aircraft . 

AH-60L Falcão Battle: Versão para exportação para o Exército brasileiro e semelhante ao Harpia. 

UH-60P Black Hawk: Versão para exportação para a Coréia do Sul , similar à configuração do UH-60L.

Operadores militares


Argentina 
Grupo Air presidencial .  Um Sikorsky S-70A Black Hawk 

Austrália 
Australian Aviação do Exército .  34 S-70 em serviço. 
5 º Regimento de Aviação (Austrália) 
B Squadron 
6 º Regimento de Aviação (Austrália) 
171 Aviation Squadron (Austrália) 

Áustria 
Força Aérea austríaca .  9 S-70A-42 Black Hawk. 

Barein 
Força Aérea Bahrain .  2 e 8 UH-60L/S-70A UH-60A/S-70A Black Hawk. 

Brasil 
Força Aérea Brasileira tem 12 helicópteros UH-60 em serviço.  Brasil solicitou mais 15 em setembro de 2008. 
Exército Brasileiro tem quatro UH-60LS no serviço, com seis, na ordem em novembro de 2008. 
Marinha do Brasil encomendou quatro S-70B Seahawks em 2009 para substituir os helicópteros antigos a sua criação em 2012.  Mais dois S-70Bs solicitado em 2011. 

Chile 
Força Aérea chilena um UH-60 Black Hawk, estudamos extra de adquirir um lote entre 5-6 adicional UH-60. 

Colômbia 
Força Aérea Colombiana .  32 AH-60L Harpia III 
Exército Nacional da Colômbia .  49 UH-60A / L 
Polícia Nacional da Colômbia 7 UH-60L 

Egito 
Força Aérea egípcia .  8 UH-60L com seis helicópteros em serviço em janeiro de 2011.  Egito solicitou quatro helicópteros UH-60ms em setembro de 2008 através de uma Venda Militar Estrangeira. 

Israel 
Força Aérea de Israel .  S-70A/UH-60A/L tem 49 helicópteros em uso a partir de novembro de 2008. 

Japão 
Air Self-Defense Force of Japan .  Ele tem 31 UH-60 helicópteros em serviço em novembro de 2008. 
Força Marítima de Auto-Defesa do Japão .  (Veja Mitsubishi H-60 para detalhes). 
Terra Self-Defense Force of Japan .  Ele tem 27 UH-60 helicópteros em serviço no final de novembro de 2008. 

Jordânia :?

Coréia do Sul 
43 S-70AS e 98 UH-60P. 

Marrocos 
Real Marroquina Gendarmerie .  Tem dois UH-60L configuração VIP em serviço. 

México 
Força Aérea mexicanos seis Black Hawks UH-60L. 
Estado de Jalisco Polícia um UH-60 (S-70i) Black Hawk. 
Polícia Federal 9 (3 em ordem) Black Hawks UH-60M. 
Marinha do México três helicópteros Black Hawk UH-60M (Delivered:. 15 de setembro de 2011)  e 4 UH-60M Black Hawk Próximos ser entregue. 

Filipinas 
Asa Air Presidencial (versão civil S-70 ) 

China 
Pessoas da Força Aérea do Exército de Libertação : S-70C 
República da China 
Força Aérea da República da China : S-70C-1, S-70C-6 
Marinha da República da China : S-70C (M) -1, S-70C (M) -2 

Arábia Saudita 
Força Aérea Real Saudita .  Ele tem 12 helicópteros S-70A (UH-60A) em uso a partir de janeiro de 2011. 

Tailândia 
Royal Thai Army .  Tem 7 UH-60L (S-70A-43) Black Hawks em serviço. 

Turquia 
As forças armadas turcas e da Polícia Nacional recebeu 12 UH-60A / L (S-70A-17), e 95 UH-60L (S-70A-28) Black Hawk.  O exército turco tem 54 S-70A ( UH-60A / L) em serviço (em Novembro de 2008 ). 

EUA 
Exército dos EUA (versões do Black Hawk UH-60) 

Ex-operadores militares 

Austrália 
RAAF .  Ele recebeu 39 UH-60L (S-70A-9) Black Hawk.  Autralian foram transferidos para o exército em 1989 . 
No. 9 Squadron RAAF 
Research Aircraft e da Unidade de Desenvolvimento




Especificações UH-60L 
(modelo Utilizado Pelo Exercito Brasileiro)


Características Gerais

Tripulação: dois pilotos e dois tripulantes chefes / artilheiros 
Capacidade: 14 tropas ou seis macas 
De carga: 1.200 kg de carga interna ou 4,080 kg de carga externa 
Comprimento: 19,76 m 
Diâmetro do rotor principal : 16,36 m 
Altura: 5,13 m 
Largura da fuselagem: 2,36 m 
Área circular: 210 m² 
Peso vazio: 4,819 kg 
Peso carregado: 9,980 kg 
Peso máximo de decolagem : 10,660 kg 
Motopropulsor: 2 × turboshaft General Electric T700 -GE-701C. 
Poder : 1.410 kW (1.890 HP ) cada uma. 
Hélices : rotor principal e rotor de cauda lâminas ambos 4

Atuação


Nunca excedeu a velocidade (V ne) : 357 km / h 
Velocidade máxima (V N) : 295 kmh 
Velocidade de cruzeiro (V c) : 278 kmh 
Faixa de operação : 592 km 
Faixa de Ferry : 2,220 km, com estruturas de asa ESSS e tanques externos 
Teto de serviço : 5.790 m 
Taxa de subida : 3,6 m / s 
Carregar o rotor: 35,4 kg / m² 
Peso / potência : 158 W / kg

Armamento


Machine Guns : 
 2 x M240H de 7,62 mm ou 
 2 x M134 Minigun 7,62 milímetros ou 
 2 x GAU-19 de 12,7 mm (0,50) 
Outros: Com as estruturas laterais podem ser equipados ESSS: 
Rockets: Containers Hydra 70 mm 
Mísseis antitanque : AGM-114 Hellfire 
Containers M230: 7,62 milímetros metralhadoras ou canhões de 20 mm ou 30 mm.










Parceiros
PORTAL MILITAR

Matérias Relacionadas:

AH-2 Sabre da FAB
HM-1 Pantera (AS-565 Panther)
AH-11A Super Lynx
SH-3B Seaking do Esquadrão HS-1
OBUSEIRO 155 mm M 114 AR
Foguetes Avibrás Skyfire M-8 e M-9
Batalhões de Infantaria de Selva - Brasil
12ª BRIGADA DE INFANTARIA LEVE (AEROMÓVEL)


quarta-feira, 1 de maio de 2013

HM-1 Pantera (AS-565 Panther)

AS-565 Panther


FICHA TÉCNICA

Designação Local:AS365-K / HM-1
País: Brasil
Qtd: Max/inicial:36 
Em serviço:34
Comprimento: 11.6 M
Envergadura: 11.9 M
Altura: 3.9
Motores: 2 x motores TURBOMECA/SAFRAN Arriel 1M1
Potência total: 1566 HP/CV
Peso vazio: 2255 Kg
Peso máximo/descolagem: 4250 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: 1600 Kg
Tripulação : 2
Passageiros: 8 a 10
Velocidade Maxima: 296 Km/h
De cruzeiro: 230 Km/h
Autonomia standard /carregado : 650 Km
Autonomia máxima / leve 875 Km.

Canhões: - 1 x 20mm M-621 (Calibre: 20 )

O AS 565 é um helicoptero ligeiro multi-funções, versão militar da aeronave AS-365 Dauphin-2, que por sua vez é uma versão do anterior Dauphin-1 monomotor.

O seu primeiro voo ocorreu em 1984 e começou a ser produzido em 1986. Existem duas versões do Panther militar. Uma versão para o exército e uma versão para a marinha.
As pás das hélices podem ser dobradas, e removidas com facilidade.
A aeronave tem um grande numero de componentes em fibra de carbono e materiais plásticos compostos, de grande resistência e durabilidade.

 A versão naval chama-se MA/SA e está normalmente equipada com sistemas especificos para as necessidades navais, nomeadamente com sistemas que permitem a utilização de mísseis anti-navio de longo alcance.



Modernização


Primeiro helicóptero Pantera modernizado do Exército Brasileiro inicia testes de voo

O primeiro helicóptero Pantera HM-1 modernizado pela Helibras pertencente à frota da Aviação do Exército Brasileiro (AvEx) acaba de iniciar os voos correspondentes ao programa de ensaios da nova configuração. Designado Pantera K2 pela empresa, a entrega dessa primeira aeronave do modelo esta prevista para acontecer no próximo mês de dezembro. Além de celebrar a implantação de um importante modelo de negócios, ou seja, o upgrade de aeronaves militares, conceito já adotado em diversos países, a empresa de Itajubá, MG, conclui também mais uma etapa do processo de capacitação de seus técnicos, condição que será importante para transformá-la em um dos pilares mundiais do grupo Eurocopter.

 No caso do contrato firmado entre a Helibras e o Exército Brasileiro, o helicóptero HM-1 modernizado que acaba de iniciar voos de testes é o primeiro de um total de 34 unidades que serão submetidas ao processo. Os aparelhos receberão uma nova cablagem, novo capô do motor, tela VEMD integrada a um novo glass cockpit, novo piloto automático de quatro eixos, novo motor Arriel 2C2CG capaz de desenvolver uma potencia máxima 40% maior do que o propulsor anterior, entrada de ar e radiador maiores e uma caixa de transmissão principal totalmente modernizada. Também contarão com novos radares meteorológicos e altímetros, modernos rádios de navegação e de comunicação, além de um novo rotor de cauda, aumentando significativamente a performance e a segurança de operação dessas aeronaves. A modernização do Pantera HM-1 para o padrão K2 possibilitará estender as vidas úteis desses helicópteros por mais 25 anos, sendo que o último deverá sair das linhas de montagem da empresa em 2021.

Marco Wagner, gerente do Programa Pantera K2 da Helibras, explica que após as fases que incluíram aperfeiçoamento do projeto preliminar e o detalhamento da nova configuração da aeronave, trabalho executado pelo centro de engenharia da Helibras, bem como o envio de engenheiros e mecânicos para a Eurocopter, na França, para participarem de treinamento “On The Job”, a empresa esta finalizando os estudos para certificação e qualificação, além da formação de pilotos e instrutores.


Segundo a Helibras, o projeto está proporcionando para a empresa um importante salto tecnológico, o qual juntamente com a fabricação do modelo EC725 e demais programas em andamento, levarão ao desenvolvimento e concepção do novo helicóptero brasileiro previsto para 2020.

“A parceria entre a Helibras e as Forças Armadas, construída a partir de uma visão de futuro, já está gerando benefícios para toda a sociedade, ampliando a malha industrial brasileira, além de ser um passo estratégico dentro do programa de expansão da empresa, já que traz o domínio de importantes tecnologias, oferecidas em um modelo de grande performance, como o caso da família Dauphin, da qual deriva à versão militar Pantera”, avalia Eduardo Marson Ferreira, presidente da Helibras.



Montados no Brasil pela Avibrás, em Minas Gerais, os Panther, são considerados no exército brasileiro como helicópteros de manobra, estando-lhes reservado o transporte de militares. Embora seja possível a instalação de uma metralhadora lateral de calibre 12,7mm colocada do lado esquerdo.
 O Brasil não usa o canhão de 20mm GIAT M621 utilizado por alguns exércitos.
 Os helicópteros brasileiros estão equipados com um motor MAKILA-I



Ultimas Matérias