quinta-feira, 14 de março de 2013

Habemus Papam Franciscum


Cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio é o novo Papa, Francisco I


O conclave elegeu nesta quarta-feira (13) o cardeal Jorge Mario Bergoglio, argentino, como novo Papa, sucessor de Bento XVI à frente da Igreja Católica Apostólica Romana.
Após uma eleição histórica, ele se torna o 266º Papa da Igreja -o primeiro latino-americano e também o primeiro jesuíta.
O nome do escolhido pelos 115 cardeais foi anunciado com a tradicional fórmula latina "Habemus Papam!" ("Temos um Papa!"), pelo mais velho dos cardeais-diáconos, o francês Jean-Louis Tauran, e recebido com aplausos pelos fiéis que enfrentaram frio e chuva na Praça de São Pedro, no Vaticano
O perfil de Jorge Bergoglio dá algumas pistas de como será o seu período à frente da Igreja. Especialistas apostam em um Papa próximo do povo, mas não muito ligado às novas mídias.
Logo depois que o Papa Francisco apareceu na sacada da Basílica de São Pedro, a conta do vaticano no Twitter, que estava parada desde que Bento XVI renunciou, voltou a funcionar: “Habemus Papam Franciscum”. Em latim: “Temos Papa Francisco”.
O Papa Francisco celebrou nesta quinta-feira (14), na Capela Sistina, diante dos 114 cardeais que o elegeram na véspera, a primeira missa do seu pontificado.
Ele disse que a Igreja Católica deve se concentrar no Evangelho de Jesus Cristo, caso contrário, corre o risco de se transformar em uma "ONG piedosa".
"Se não professamos Jesus Cristo, nos converteremos em uma ONG piedosa, não em uma esposa do Senhor", disse, durante a homilia, que durou sete minutos.

Em uma vida de ensinamentos religiosos e de gestão na América Latina, uma região que tem o maior percentual de católicos no mundo, Bergoglio mostrou uma aguda sensibilidade política.
O recém-eleito pontífice nasceu na cidade de Buenos Aires em 17 de dezembro de 1936. Ele tornou-se sacerdote em 13 de dezembro de 1969 pelas mãos de Dom Rámon Castellano. 
Ele passou a maior parte de sua carreira na Argentina. Em 1992, ele foi consagrado bispo de Auca. Mais tarde, a saúde do ex-arcebispo de Buenos Aires, Antonio Quarracino, começou a ser afetada, portanto Bergoglio foi nomeado bispo-coadjutor (bispo-titular da Igreja Católica nomeado para ajudar e substituir um bispo) em 3 de junho de 1997, e, finalmente, tomou a diocese em 28 Fevereiro de 1998.
Bergoglio foi presidente da Conferência Episcopal da Argentina por dois períodos. Papa João Paulo II nomeou-o cardeal em 21 de fevereiro de 2001 recebendo o título de cardeal- presbítero de São Roberto Belarmino.



Nenhum comentário:

Postar um comentário