terça-feira, 1 de maio de 2012

Especial KC-390


A EMBRAER anunciou o projeto da aeronave de transporte tático com rampa traseira C-390 na LAAD 2007. O projeto poderá ser o maior e mais ambicioso projeto da empresa. O C-390 seria um avião de transporte militar que usaria componentes e estruturas da família de jatos EMB-170 e EMB-190. Na LAAD 2009 a EMBRAER e a FAB assinaram um contrato para o desenvolvimento do KC-390. A designação foi mudada pois a missão de reabastecimento em voo passou a ser parte da capacidade da aeronave. O projeto também foi alterado pois as especificações da FAB forçou a uma revisão do projeto que ficou bem alterado externamente como o aumento do tamanho das asas e a cauda em T. As turbinas serão bem mais potentes que as usadas no EMB-190 e os aviônicos serão mais adequados as operações militares como o uso de óculos de visão noturna.

O contrato assinado com a FAB no valor R$ 3,028 bilhões em abril de 2009, durante a LAAD, cobria o desenvolvimento e produção de dois protótipos, mais todas a documentação e ferramental associados. O cronograma do projeto tem 3 fases com duração total de 7 anos sendo a primeira fase para definição de componentes e parcerias (2 anos); a segunda fase para Detalhamento do Projeto e Produção de 2 Protótipos (total da 1ª e 2ª Fase = 5 anos) e a terceira fase sendo a Fase de testes e qualificação dos Protótipos (2 anos). Na feira aérea de Farnborough no Reino Unido em julho de 2010 a FAB enunciou a encomenda de 28 aeronaves KC-390. A FAB estima que o projeto, desenvolvimento, produção e compra deve custar cerca de US$ 5 bilhões.

Em dezembro de 2009 era previsto o primeiro voo para 2014 e a entrada em operação na FAB em 2016. O corte de metal para o primeiro KC-390 deverá ser feito em meados de 2013, para que essa primeira aeronave seja terminada em meados do ano seguinte. A campanha de certificação deverá estar andando no terceiro trimestre de 2014. Os o testes em túnel de voo subsônicos finais da fase de projeto preliminar foram completados na Holanda.

A EMBRAER baseou seus estudos de mercado em uma frota global de 2.802 aeronaves de transporte militar que devem ser substituídos a médio e longo prazo. Cerca de 49% desta frota é composta de aeronaves C-130 e 1.613 (91 países) tem mais de 25 anos de uso. O estudo só considera aeronaves com mais de 25 anos de operação na faixa de 5 a 25 toneladas e não considera o mercado chinês. Sem considerar o mercado russo, ucraniano e americano este número cai para 1.600 aeronaves. Com estes dados a EMBRAER estima que possa vender até 700 aeronaves C-390 para 77 países. O custo seria de cerca de US$ 50 milhões cada, para uma previsão de 120 aeronaves vendidas em 10 anos.

Os concorrentes do C-390 serão o Airbus A400M, o C-130J, o C-27J, o An-72/74 e as variantes modernizadas do C-130 Hercules. Para comparar os preços, o C-130J custa US$ 65 milhões com a mesma capacidade de carga, o A-400 custa US$ 90 milhões com capacidade de carga de 37 toneladas, o C-17 custa US$240 milhões com carga de 77 toneladas, o C-27J Spartan custa US$35 milhões e o C-295 US$ 23 milhões, ambos com capacidade de carga de 10 toneladas. Já um C-130 modernizado custa entre US$ 3 milhões (modernização dos aviônicos) a US$30 milhões, mas com uma vida útil bem menor. Em julho de 2008 a Colômbia anunciou que quer participar do projeto. Vários outros países se mostraram interessados como Portugal e África do Sul.

A EMBRAER pretende tornar o C-390 a aeronave de menor custo operacional em sua classe e com preço de compra extremamente competitivo. Nos cálculos iniciais a EMBRAER estimava que o custo de operação será de US$ 7,5 dólares por milha voada contra US$ 13 dólares do C-130J. O baixo custo está baseado na sua experiência com aeronaves comerciais e alta comunalidade com o EMB-190. O projeto inicial teria partes em comum com o EMB-190 como as asas, profundor e deriva. A maior parte do cockpit seria idêntica ao EMB-190 o que facilitará o uso de simuladores civis da aeronave comercial e poderia usar a estrutura de apoio do EMB-190. Estes cálculos não valem mais para novo projeto.

O KC-390 usará aviônicos no estado de arte compatível com óculos de visão noturna com um sistema de missão abrangente, incluindo a capacidade de o cálculo preciso do ponto de lançamento de carga (CARP). A aeronave terá controles por fly-by-wire, que aumenta a segurança e a operação em pistas curtas e não pavimentadas, sem a necessidade de apoio no solo, além do lançamento de carga aérea onde ocorre variação rápida do centro de gravidade da aeronave. Também permitirá um melhor desempenho de voo e diminuição da carga de trabalho da tripulação. O KC-390 terá um sistema de autoproteção completo e oferecer um bom nível de sobrevivência, com distribuição de sistemas pela aeronave.

Os dados técnicos do KC-1390 estão em constante mudança por ainda estar nas fases iniciais do projeto. O peso máximo de decolagem é de 58,5t em configuração tática (limite de carga de 3 g´s e operação em pista semi-preparada), peso normal de 65t (2,5 g) e peso máximo de 72t em configuração de transporte logístico (2,25g). A capacidade de carga máxima é de 19 tons e a capacidade interna de combustível é de 23,4t. Na configuração tanque poderá levar mais 14 toneladas internamente (contra 11 do KC-130).

A aeronave terá 33,95 metros de envergadura, 33,50 metros de comprimento e 11,35 metros de altura. O compartimento de carga tem 17,8m de comprimento, 3,45 de largura e 2,9m de altura com mais volume interno comparado com o C-130 e dois banheiros sendo um só para tripulação. Comparado com o C-130J pode levar 80 soldados contra 72 do C-130, 82 macas (contra 72) e a a mesma quantidade de pára-quedistas (64).

O compartimento de carga será mais largo e mais alto, podendo levar cargas que não são possíveis de serem transportadas pelo C-130. O C-130 só pode levar 70% dos itens da OTAN. Esta sempre foi uma das grandes fraquezas do C-130 e que foi repetida pelo C-141 que tinha o compartimento de carga com a mesma altura e largura, porém mais comprida. Estas limitações de dimensões vem pressionando os requisitos de vários itens militares como veículos blindados. Blindados como o Patria AMV 8x8 e o LAV-25 só podem ser transportados no C-130 se forem retirados alguns itens como a torre de canhão. Esta operação pode ser demorada e os blindados irão demorar a entrar em operação. No C-390 os blindados irão sair da aeronave já prontos para o combate.

Nas missões de transporte de carga poderá levar carga paletizada, containers, tropas e veículos. As tropas e cargas podem ser lançadas de pára-quedas incluindo com o sistema de extração a baixa altura (LAPES). A aeronave pode ser configurada rapidamente para realizar evacuação aeromédica (cerca de 80 macas) e para reabastecimento em voo e pode ser reabastecimento em voo.

A capacidade de operar em pista curta e semi-preparada será semelhante a do C-130 como usar pistas com buracos de até 40cm de profundidade. O desempenho de pista no nível do mar em condições ISA é decolagem com peso de 65 tons usando pista de 1.200m (contra 1.400m do C-130J) e decolar em 1.500m com peso máximo de 72 tons (contra 1.890m do C-130J).

Inicialmente os motores seriam da classe de 7 a 10 toneladas como o Pratt & Whitney PW6000 e o Rolls-Royce BR715 que equipam os EMB-190. Agora o KC-390 irá usar um motor turbofan da classe de 25 a 30 mil libras. O KC-390 será mais rápido que o C-130, voando a 850km/h (Mach 0,8 a 36 mil pés) contra 560km/h. A velocidade e altitude de vôo serão importantes para poder operar em rotas comerciais o que é muito difícil para os C-130 e diminuir o tempo de duração das missões. O alcance de translado é de 6.200km ou 1.450nm (2.685 km) com 19 tons de carga, ou 2.800nm (5.185 km) com 11 tons de carga.
Configuração original do C-390 com as asas e profundor do EMB-190. O KC-390 tem asas 52% maior e cauda em "T".

Cabina do KC-390. Outros consoles devem ser instalados atrás dos assentos dos pilotos para funções especiais




O corte da cabina do KC-390 é sensivelmente maior que o do C-130 permitindo levar cargas que não podem ser levadas pelo C-130.A capacidade de transporte inclui levar um blindado Pátria AMV 8x8, ou 1 LAV-25 ou 1 EE-11 Urutu ou 3 HMMWV.

Configuração da cabina na função de transporte de tropas, lançamento de pára-quedistas e para evacuação médica.


Exemplos de cargas que podem ser levadas pelo KC-390.

O KC-390 poderá levar um helicóptero Black Hawk internamente.

Raio de ação do KC-390 em configuração tática.

Raio de ação do KC-390.

Raio de ação do KC-390 na função de busca e salvamente operando a partir de bases na costa brasileira.

Capacidade de transferência de combustível do KC-390 em função da distância.




Nenhum comentário:

Postar um comentário