sábado, 12 de maio de 2012

AVIBRAS ASTROS II/ III. O destaque brasileiro em foguetes de saturação

O sistema ASTROS (Artilhery Saturation Rocket System) de lançamento de foguetes de saturação, fabricado pela Avibras é, tranqüilamente, o mais conhecido sistema de armas fabricado no Brasil no mercado internacional. Sistemas de artilharia baseado em foguetes como o ASTROS, tem como vantagem a possibilidade de poder atacar alvos localizados a distancia bem maiores que o que se consegue atacar com a artilharia convencional de canhão. Veja, que um canhão de 155 mm com bom desempenho consegue atingir alvos a uma distancia máxima de 30 km enquanto que o sistema ASTROS II usando o foguete SS-80 consegue atingir alvos a uma distancia de até 90 km. Fora isso um foguete tem um tamanho que permite o uso de ogivas diferenciadas como fragmentação, por exemplo.
A Avibras começou a desenvolver o ASTROS II no final da década de 70, visando fornecer um sistema de artilharia de foguetes ao exercito iraquiano que financiou esse projeto e depois de estudar muitos sistemas de foguetes de artilharia disponíveis no mercado naquela época acabou por apresentar o sistemas ASTROS II em 1983. O exercito brasileiro adquiriu 5 baterias incompletas e outros países como Iraque, Arábia Saudita, Bahrain, Malásia e Qatar, também adquiriram esse sistema de artilharia para seus exércitos, sendo que o Iraque, e a Arábia Saudita usaram com assiduidade esse sistema na primeira guerra do golfo em 1991 causando boa impressão nos usuários e respeito pelo inimigo. Na verdade os norte americanos, na guerra do golfo tinham como uma das suas prioridades destruir os lançadores ASTROS II em uso pelo Iraque, tal o respeito pelo potencial que esse sistema tinha em causar danos nas forças da coalizão.

O sistema ASTROS II usa um veículo VBT-2028, derivado do modelo da Mercedes Benz 2028-A, com uma configuração 6X6, fabricado pela Tectran Engenharia, uma subsidiaria da Avibras. Este caminhão, cujo tamanho me impressionou muito quando tive a oportunidade de ver um de perto em uma exposição do Exercito Brasileiro em São Paulo, usa um motor Mercedes OM422 com 8 cilindros em “V” e que produz 280 Hp de potencia, capaz de levar esse caminhão de 12650 kg a uma velocidade de até 100 km/h em estrada. A autonomia deste veículo chega a 500 km. A velocidade e autonomia desse tipo de sistema de artilharia revelam a incrível superioridade tática deste tipo de armamento em termos de mobilidade que, poucos obuseiros autopropulsados consegue igualar.
O diferencial do sistema ASTROS II é sua capacidade de lançar foguetes de diversos calibres. Essa modularidade foi pioneira nesse tipo de sistema de armas com a entrada do ASTROS II em serviço. Os foguetes usados no ASTROS II, atualmente são o SS-30 com 30 km de alcance, o SS-40 com 35 km e alcance, o SS-60 com 60 km de alcance e o SS-80 com um alcance que chega a 90 km. Cada tipo de foguete possui dimensões diferentes sendo que SS-30 é o de menor calibre (127 mm) e pode ser transportado 32 foguetes em cada caminhão ASTROS. O foguete SS-40 tem 180 mm de calibre e 16 unidades são transportadas no caminhão. Já os foguetes SS-60 e SS-80 tem 300 mm e por isso são transportados apenas 4 foguetes por caminhão.
O sistema ASTROS II conta com um veículo de controle de tiro onde um radar é usado para direção de tiro. Cada bateria do sistema ASTROS II é composto por 6 caminhões lançadores de foguetes, mais 6 caminhões remuniciadores e um caminhão com o sistema de controle de tiro.
A Avibras desenvolveu um novo sistemas de lançamento de foguetes que é uma evolução do Astros II e se chama Astros III. Este sistema é baseado no caminhão alemão Mercedes Benz Actros 8X8 e que seria armado com um novo míssil de cruzeiro, também em desenvolvimento pela Avibras. Este míssil é chamado de AV MT-300 Matador, cujo alcance será de 300 km e pode usar uma ogiva única de 200 kg de alto explosivo ou uma ogiva de fragmentação com 24 granadas antipessoal ou antitanque. Esse míssil terá guiagem Inercial e por GPS permitindo uma precisão elevada. Além do míssil Matador, um novo foguete de longo alcance, o SS-150, com 150 km de alcance e o missil FOG MP guiado por fibra optica e com 20 km de alcance, poderão ser lançado do Astros III.
  missil FOG MP
AV MT-300 Matador  
Infelizmente, a falta de uma política de defesa em que houvesse investimento em desenvolvimento e aquisições regulares por parte de nosso governo, fez com que o programa do Astros III tenha sido paralisado, além de colocar a Avibras em uma situação critica no campo financeiro, levando a demissões e a perda de mão de obra qualificada. É certo que as pessoas que trabalham nessa empresa, fazem um trabalho com amor, pois se depender do retorno financeiro, as portas já estariam fechadas a muito tempo. Porém as nuvens negras parecem começar a perder força visto que uma política de defesa coerente com as necessidades do Brasil começa a aparecer no horizonte. Agora é só esperar e torcer que essa condição em que chegamos comece a mudar.





FICHA TECNICA
(VBT-2028)

Motor: Mercedes Benz OM 422 V8 com 280 Hp movido a diesel.
Peso: 12650 kg (vazio), 22000 kg (Maximo).
Autonomia: 500 km.
Velocidade: 100Km/h.
Armamento: Uma metralhadora M-2 cal 12,7 mm (.50), Container de lançamento de foguetes contendo 32 foguetes SS-30, 16 SS-40, 4 SS-60 ou SS-80.
Alcance dos foguetes: SS-30: 30 km, SS-40: 35 km, SS-60: 60 km, SS-80: 90 km.

Nenhum comentário:

Postar um comentário